terça-feira, 10 de abril de 2007

Influências esotéricas no Judaísmo


O Judaísmo Moderno, filho legítimo do Farisaísmo, se arvora à condição de guardião fiel da Palavra de D-us. Esta tem sido a postura dos judeus neste debate, especialmente o Likud, que afirma que Jesus é um falso profeta, de acordo com suas crenças.Mas será que estas crenças são verdadeiras?A verdade é que os judeus contemporâneos, tão pródigos em citar a TaNaKh para tentar agredir o cristianismo, NÃO CRÊEM NA TANAKH COMO VERDADE ABSOLUTA. A base de sua fé é o Talmud, uma compilação de comentários sobre comentários da TaNaKh feitos por rabinos ao longo dos séculos, com adições e mitos sem amparo na Bíblia.Veja o que diz o rabino Adin Steinsaltz em seu livro "O Talmud Essencial": "Se a Bíblia é a pedra angular do judaísmo, o Talmud é a coluna central, erguendo-se a partir das fundações e sustentando o inteiro edifício espiritual e intelectual. Nenhuma obra teve uma influência comparável na teoria e na prática da vida judaica".Por esta razão, os cristãos refutam toda e qualquer argumentação rabínica sobre a autenticidade de Yeshua. Por terem semeado crenças estranhas à Bíblia, as escolas rabínicas existentes carecem de autoridade e legitimidade para fazer qualquer comentário sobre Jesus Cristo.
Examinemos, por exemplo, um dos ensinos mais conhecidos do judaísmo no mundo contemporâneo, popularizado por figuras como (que coisa...) a Madonna: A Kabalah.A Cabala começou entre os sacerdotes judeus que foram corrompidos pelos Mistérios Babilônicos enquanto serviram ao rei de Babilônia durante os setenta anos do cativeiro decretado por Deus como punição pelos repetidos pecados de Israel. Esse cativeiro babilônio está retratado no livro de Daniel; iniciou em 606 AC e terminou em 536 AC, quando o rei persa Ciro emitiu o decreto permitindo a reconstrução de Jerusalém e do templo. Assim, a revelação de Deus a Jeremias de que puniria Israel por setenta anos por seus pecados [Jeremias 25:11-12] cumpriu-se com exatidão!Durante esse tempo de exílio, os sacerdotes judeus apóstatas interessaram-se pelos Mistérios Babilônicos e passaram a converter as crenças fundamentais desse sistema ao judaísmo. Quando completamente desenvolvida, essa Tradição Oral "reinterpretou misticamente" a TaNaKh. Em seguida, à medida que esses sacerdotes apóstatas passaram lentamente a tomar o controle de todo o sacerdócio judaico, transcenderam-no misticamente, reinterpretando o Pentateuco (Torah); começaram a publicar éditos que se tornaram conhecidos como as Tradições dos Antigos. Jesus Cristo repudiou continuamente as Tradições dos Antigos, chamando-as de falsas e hipócritas [Marcos 7:6] e dizendo que invalidavam a Palavra de Deus [Marcos 7:9].
Quem conta um conto aumenta um ponto. Por isso, os comentários de comentários de comentários sobre a Bíblia, que foram dando origem ao Talmud, apresentam descompasso com muitas passagens da Bíblia (no caso, refiro-me somente à TaNaKh, não está em questão o NT). Contrariando a esperança messiânica de levar a palavra de D-us a todos os povos, os judeus aprendem no Talmud que um goym (gentio) que estudar a Bíblia merece a morte. Ou seja: para o ensino do Talmud, todos nós, cristãos, pastores e estudiosos da Bíblia que não são judeus, merecemos a morte.Leia você mesmo:Sanhedrin 59a:"Um pagão que estuda a Torá merece a morte por isso, posto que está escrito que Moisés nos deu uma lei como herança; é nossa herança e não deles." É muito difícil encontrar o Talmud em português. Eles não gostam muito que ele seja traduzido. Felizmente, tive acesso a este precioso material.

Em Cristo, com condescendência,

CLÁUDIO MOREIRA

6 comentários:

bagaca disse...

Caro Pastor: Primeiramente tem que saber o que é o Talmud, segundo, erro gritante o Talmud não comenta o Tanach, ele é observação sobre a Torah.
Terceiro nem os evanagélios você conhece visto que usou Marcos 7 para justificar o que você nem conhece, JC falava de ai sobre outra coisa não tem nada haver com o Talmud, mas sim com a tradição que anulara Mandamento de Moises naqueles tempos.

Marcos 7:10 Pois Moisés disse: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser a seu pai ou a sua mãe seja punido de morte.
Marcos 7:11 Vós, porém, dizeis: Se um homem disser a seu pai ou a sua mãe: Aquilo que poderias aproveitar de mim é Corbã, isto é, oferta para o Senhor,

Ora se o Sr. não sabe nem ensinar o que lhe foi ensinado quanto mais o que diz o Talmud.

Sanhedrin 59a:"Um pagão que estuda a Torá merece a morte por isso, posto que está escrito que Moisés nos deu uma lei como herança; é nossa herança e não deles." É muito difícil encontrar o Talmud em português.

Ora não sabes o significado de um Pagão, ou será que o Senhor é um?
Afinal o Sr. deve ser devoto de maria e aceitar isso como o Cirio de Nazaré não é, ou o Sr. intepreta isso como uma ofensa ao que diz na biblia?

Então se não concorda com o cirio, ou com um umbandista usando uma biblia para fazer despaches então não comente o Termo do Talmud tentando pejorá-lo, ou seja, me responda aonde está já que o Sr. é o dono da verdade essa profecia:

Mateus 2:23 E foi habitar numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito por intermédio dos profetas: Ele será chamado Nazareno.

Me aponte ou me explique essa profecia.

Ou melhor sendo o Sr. um pastor evangélico e como todos os evangélicos chamam os católicos de idolatras e pagãos, como então pode o Sr. ser inclusos no Talmud, como Pagão, Não sabe o Sr. que a passágem do Talmud Babilônico se refere aos judeus pagãos, ou seja, os idolatras do tempo babilônico?

Não é bom ficar inventando coisas sobre o que não sabe, por esse motivo Martinho Lutero seu santo cristão queimava as Sinagogas com os Judeus dentros, por causa da ignorância quando ao Talmud, porque alguém compilou uma tradução de um versículo do Talmud e Você entendeu errado assim, como você não entende nem o evangélio de Marcos.

Estou aqui defendendo o Likud, visto que é um judeu.

bagaca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elder disse...

Talmude(forma aportuguesada e reconhecida nos dicionários)é formado pelo mishina e guemara, a mishina é a forma escrita da antiga TRADIÇÃO oral a qual Jesus(Segundo nossa língua, pois dela somos usuários e fazemos dela o que bem quisermos)se pronunciou contra ela, ou pelo menos em parte!
Estes judeus de hoje só tem a tradição dos antigos, mas a cabeça é de ocidental helenizado, como diz Paulo: eles zelam, mas sem entendimento.
Que relevância tem a opinião de um judeu helenizado para aquilo que eu creio?...
por acaso os judeus também não tem seus momentos de devaneios e subjetividades inúteis que não leva ninguém a lugar algum?...

Elder disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elder disse...

(Mt 15:3 [JFA-RC(Pt)])
Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Porque transgredis vós também o mandamento de Deus pela vossa tradição?

Elder disse...

O Talmude segundo muitos escritores é um material muito vasto, existe dois Talmudim.
Que completos ocupam volumes enormes!
O Talmude (em hebraico: תַּלְמוּד, transl. Talmud) é o Livro Sagrado dos judeus, um registro das discussões rabínicas que pertencem à lei, ética, costumes e história do judaísmo. É um texto central para o judaísmo rabínico.
O Talmude tem dois componentes: a Mishná (c. 200 d.C.), o primeiro compêndio escrito da Lei Oral judaica; e o Guemará (c. 500 d.C.), uma discussão da Mishná e dos escritos tanaíticos que frequentemente abordam outros tópicos, e são expostos amplamente no Tanakh
Moshê então explicou a Torá inteira oralmente ao povo. Esta explicação, portanto, é denominada Torá Oral.

No Monte Sinai, foram entregues duas Torot: a Torá Escrita (o Pentateuco) e a Torá Oral. A Torá Oral inclui desde leis e ramificações das leis da Torá Escrita, até estudos sobre a parte oculta da Torá e comentários e explicações sobre as mitsvot. Tanto as leis que foram entregues a Moshê no Sinai, quanto as conclusões e explicações alcançadas em cada geração são consideradas parte da Torá Oral.

No início, a Torá Oral era de fato oral, ou seja, era passada de boca em boca, e assim transmitida de geração em geração. No entanto, aproximadamente no final da época do Segundo Templo, os Sábios temeram que a Torá Oral fosse esquecida. O Império Romano ganhava força, e com isso o povo de Israel estava sendo espalhado pelo mundo, sofrendo várias tragédias. Caso não arrumassem aquilo que se estudava em cada Beit Midrash (casa de estudo) na forma escrita, o contato entre eles seria perdido. Então, os Sábios decidiram escrever tudo aquilo que era estudado, e as diferentes opiniões de cada Beit Midrash. Mil e quinhentos anos após a outorgada da Torá no Monte Sinai, escreveram a Mishná.

Após um certo tempo, no entanto, perceberam que a Mishná havia sido escrita de uma forma bastante resumida, e as pessoas acabariam esquecendo todas as explicações e motivos que havia por trás da Mishná. Foi então que resolveram compilar o Talmud, explicando as opiniões dos Sábios sobre a Mishná.

Existem dois Talmudim: o Talmud de Jerusalém (Yerushalmi) e o Talmud da Babilônia (Bavli), escritos pelos Sábios judeus das respectivas cidades. O Talmud da Babilônia é mais claro, e portanto é o mais estudado. Ele é organizado em sessenta tratados. Hoje em dia, no entanto, possuímos apenas trinta e sete tratados.

Os 63 volumes da Mishná são divididos em seis seções, cada uma sobre uma área diferente da antiga vida judaica: Agricultura, Dias Festivos, Lei Civil, Relações Familiares, Sacrifícios no Templo Sagrado e Pureza Ritual. Quarenta deles acompanham o comentário talmúdico, consistindo de enormes livros abarrotados de escrita em aramaico, um idioma semítico extinto que usa o alfabeto hebraico. O Talmud segue a estrutura de seis seções da Mishná.
É um livro judaico.
É considerada parte da Torá.

Torá
Torah
mishina
Mishná
Mixná
Mixna
Talmud
Talmude

segundo cada fonte...